Orgulho de ser "mãe especial"

quinta-feira, abril 12, 2007

Apesar de ser menina, branca e menor de um ano de idade, a pequena Marcela tinha chances mínimas de ser adotada. Autista, vítima de paralisia cerebral, ela não se mexia e não reagia à luz ou a qualquer outro estímulo. Nunca tinha chorado.

A chance de ganhar uma família veio com a visita da supervisora de vendas Carla Cristina Penteado, 34, ao abrigo onde estava. "As pessoas me disseram que não adiantava pegá-la no colo, que ela estava trancada no seu mundo, não reagia a nada. Peguei-a mesmo assim e cantei pra ela. Quando a coloquei de volta no berço, ela chorou", lembra.

Portadora de diabetes tipo 1, que dificulta uma gravidez natural, ela tinha 30 anos e nenhum filho. Decidida a adotar Marcela, Carla contou com o apoio do marido, mas enfrentou muitas dificuldades. "Foi um inferno. Disseram que era fogo de palha, que eu era nova demais. As pessoas acham que uma mulher bonita e jovem não pode adotar uma criança assim." Foram cinco meses indo ao fórum regularmente para pedir a guarda da menina.

"Cada dia que eu ia ao abrigo, eu morria um pouco. Via os pezinhos dela se atrofiando por falta de fisioterapia", conta.

Hoje, com quatro anos e oito meses, Marcela fez progressos notáveis. Fala muito, gosta de cantar e, contrariando as perspectivas iniciais, consegue andar. "Claro que enfrentamos dificuldades. A idade mental dela é a de uma criança de um ano e meio. Já fomos recusadas em escolas. Às vezes, ela tem crises, berra, foge do controle. Mas todo pai tem problema, quem não quer problemas que compre uma boneca", brinca.

Carla fundou um grupo para incentivar a adoção de crianças mais velhas e com necessidades especiais. Diz que adora ser "mãe especial". "Se for adotar outra criança, vai ser uma especial também", afirma.

Fonte: Folha online

2 comentários:

Beatriz disse...

Puxa, que coragem a dessa mãe! Em meio a tantas notícias ruins por aí, pelo menos alguma notícia para fazer a recuperar a nossa esperança no mundo... Um beijo, Bia.

Marcia disse...

Essa é uma atitude corajosa e invejável. Aplaudo com louvor. Certamente a recompensa dela será ainda maior do que o resultado que ela já teve. Fiquem com Deus. Beijo, Marcia