Invasão noturna

terça-feira, fevereiro 14, 2006

Ontem foi dia... quer dizer, noite. Primeiro entrou um gafanhoto, grilo, sei lá o que, na minha sala. E eu que estava vendo televisão bem acomodada, deitada no sofá e com a luz apagada. Levei um susto imenso, já que ele entrou voando e fez o maior estardalhaço. Lá vou eu, com uma vassoura tentar botar o bicho pra fora. Imagino a cena para os vizinhos do prédio da frente, já que tive que acender a luz e abrir a cortina. Depois de 10 minutos de "briga", desisti e fui acordar a minha irmã pra me ajudar (tadinha!). Mais uns 15 minutos com aquele bicho voando pela sala inteira, uma confusão, até que eu consegui acertá-lo com a vassoura e o colocamos pra fora pela janela (ainda vivo. Sou contra matar bichos que não sejam baratas).

Dou boa noite pra minha irmã, deito no sofá, apago a luz e volto a ver o meu seriado. Aí, começo a ouvir um barulho esquisito. Pensei: isso é coisa da minha cabeça, estou impressionada. Volto a ver a tv. O barulho começa de novo e eu fico prestando atenção. Parece um bicho preso dentro de uma caixa. Será que não coloquei o grilo (gafanhoto, sei lá) pra fora? Será que tem outro grilo? Será que é uma barata? Lá vou eu levantar e acender a luz de novo. Procurei, procurei e nada. Só o barulho estranho, vindo de trás da cortina. Aí acabou a coragem: uma e meia da manhã, eu vendo seriado sobre coisas esquisitas... fui acordar a Paula de novo. Ela levanta, me ajuda, mas ela é mais medrosa do que eu! Não resolveu muito, fomos chamar a minha mãe. Pega a vassoura de novo, abre as cortinas de novo, procura no meio dos brinquedos do Vítor. Se algum vizinho estava acordado, deve ter se divertido com a cena.

Resolvo puxar o velotrol do Vítor e... surpresa!! Encontramos o bicho misterioso, escondido perto dos brinquedos: um morcego. E então, como tirar o bicho de lá??? Minha mãe vai pra cozinha, pega um pano de chão e joga em cima dele. Aí uma olha pra outra e fala: e agora??? A Paula é a primeira a dizer que não tem coragem de pegar, minha mãe endossa. Mas a minha coragem volta e eu pego o paninho, com cuidado e jogo (tudo) pela janela. Ainda vejo o bichinho voando pra longe. Ele deve ter pensado: tanta palhaçada por tão pouco!

Depois de tudo isso, nós três chegamos a uma conclusão unânime: faz muita falta um homem em casa....rs Tomara que o Vítor cresça logo!!

Nossa segunda visita noturna de ontem: um morceguinho

1 comentários:

Márcia disse...

Sim, faz muuuuiiita falta um macho em casa: abrir potes, matar baratas, carregar peso, trocar lâmpadas, consertar coisas, etc, etc, e outras cositas mais.
Parabéns por enfrentar o morcego, acho que eu teria chamado o Corpo de Bombeiros, rssss.
Nem me fale.