Notícias verdadeiras - mas que parecem mentira

quinta-feira, abril 06, 2006

Para rir um pouquinho...

Chinês tenta vender sua alma na Internet

Um rapaz de 24 anos tentou vender sua alma no mais popular site de leilões da China e conseguiu obter 58 lances antes dos operadores excluírem sua oferta da página.
"Foi apenas um impulso", explicou o vendedor, que não quis se identificar.

O chinês explicou que o lance inicial por sua alma era de 10 yuanes (US$ 1,23). No final dos 58 lances, o valor chegou a 681 yuanes (US$ 84) . Mas os responsáveis pelo site decidiram que a oferta não era apropriada e deletaram o anúncio assim que a notícia ganhou repercussão na imprensa.

"Nós retiramos a oferta porque achamos que apenas Deus pode controlar as almas", explicou o porta-voz do site Taobao. "Além disso, as almas não podem ser vendidas já que não são vistas ou tocadas".

Após cirurgia, homem manda carta-bomba ao médico

Um americano confessou ser culpado por uma acusação de uso de armas de destruição em massa depois de enviar uma bomba para o médico que fez sua operação de aumento de pênis.
Brett R. Steidler, 25 anos, de Reamstown, EUA, mandou pelo correio uma carta-bomba em fevereiro de 2005 porque estava "extremamente descontente com os resultados" da cirurgia que custou US$ 8 mil, disse a advogada assistente Jennifer Arbitter Williams em um documento do processo.

Steidler alertou as autoridades antes da chegada da bomba ao destinatário, o dispositivo foi encontrado pelos correios e desativado. O advogado de defesa, Luis A. Ortiz, disse que Steidler está mentalmente perturbado e lembrou a diferença entre a pena de 2 anos por mandar uma carta-bomba, e a pena de 4 a 8 anos para o crime de uso de armas de destruição em massa.

"Vocês não devem enquadrar este homem junto a pessoas que dirigem um caminhão cheio de explosivos ou usam antraz, ou fazem terrorismo por razões políticas", disse Ortiz. A sentença será dada o dia 7 de julho, pelo juiz distrital Lawrence F. Stengel.

Sogra e três mulheres interrompem quarto casamento de polígamo

Um suposto polígamo cambojano foi atacado no altar quando estava se casando pela quarta vez. Quatro mulheres, três que alegam ser suas esposas e outra que disse ser uma de suas sogras, interromperam a cerimônia.

A mulher que seria a quarta esposa de Pearon, que não foi identificada, cancelou o casamento após a confusão.

Segundo confirmou a polícia do distrito de Phnom Srouch, na província de Kampong Speu, o incidente, ocorrido no sábado, foi liderado por Ouk Poly, 35 anos, que alegou ser a primeira esposa de Tang Pearon, 36 anos. Poly exigiu que o casamento fosse interrompido porque não tinha recebido nenhum documento oficial que indicasse que eles estavam divorciados.

O policial acrescentou que Poly começou a gritar que não estavam divorciados enquanto destruía a decoração tradicional do casamento e jogava os restos nos convidados. Outras duas mulheres, que também se identificaram como esposas de Pearon, e outra que assegurou ser uma de suas sogras se uniram a Poly e também começaram a destruir o local da cerimônia.

"A primeira esposa, Ouk Poly, disse aos convidados que Tang Pearon se casou com ela em 1992 e que o divórcio ainda não havia sido efetuado. Ela também acusou que ele não está ajudando na criação dos dois filhos do casal 10 e 12 anos", disse Tol Ton. As autoridades não forneceram os nomes das outras mulheres, nem explicaram como se conheceram ou como chegaram ao casamento. A fonte indicou que a polícia investiga o caso, mas não sabe se haverá alguma acusação.

Homem bate o carro ao usar cobra viva como colar

Um americano bateu seu carro ao perder o controle do volante porque sua cobra de estimação decidiu atacá-lo. Testemunhas afirmam ter visto Courtlans Page Johnson, 30 anos, dirigindo de maneira perigosa e caótica até bater seu carro, um PT Cruiser, em diversas barreiras do canto de estrada, em Naples, Estado da Flórida, por volta das 9 horas da manhã de terça-feira.

Ele saiu do carro lutando contra uma cobra e, após se livrar do animal, voltou ao veículo e foi embora. Embora estivesse com cortes no rosto e alguns ferimentos menores, Johnson não precisou de cuidados médicos.

Quando a polícia encontrou Johnson em sua casa, ele disse ter batido em um outro carro. Os policiais então o conduziram a um interrogatório mais detalhando, e o motorista admitiu ter entrado em pânico quando a cobra, que ele carregava enroscada no pescoço como um colar, o atacou.

Johnson agora responde a uma acusação por fugir de um local de acidente.

1 comentários:

Amorosa disse...

ValámeDeus! Não sei qual das notícias é a mais bizarra.
Se bem que no caso do polígamo, eu tb ajudaria a quebrar tudo e ainda dava porrada nele. Sem vergonha, ordinário, cachorro.
Desculpa, fiquei indignada. rsss