quinta-feira, abril 27, 2006

O tempo passa e a gente nem percebe. Parece que foi ontem que eu acariciava minha barriga, fazendo carinho no bebê que estava lá dentro e imaginando como seria quando ele saísse. Parece que foi ontem que ele nasceu, chorou no colo da enfermeira e parou quando falei com ele. Parece que foi ontem aquela época em que ele dormia comigo, em cima da minha barriga. Parece que foi ontem aquele tempo em que ele ficava aninhado em meus braços.

Hoje ele está cada dia mais independente, corre para todos os lados e fala tudo. Vai ao banheiro e as poucas vezes que coloco fraldas nele, elas ficam secas. Mesmo assim, é bom ver como nosso amor continua aumentando e como ele, a cada dia, aprende a demonstrar o que sente.

Primeiro ele falou, sem que ninguém o ensinasse, "te amo, mamãe" (aprendeu de tanto ouvir o "Gugu" falar isso pra mim e eu pra ele). Depois, decidiu que queria "mimir" comigo (coisa que, claro, não acontece sempre). Agora, passa cerca de meia hora deitado nos meus braços, como antigamente. Mas agora cantamos juntos, conversamos e rimos.

Momentos maravilhosos que também irão passar. É natural - darão lugar a outros momentos...

2 comentários:

Dai disse...

menina, quantas novidades, estou me inteirando dos assuntos tá...quis comentar para pontuar minha admiração por essa tão singela declaração de amor tua pelo filhote. fiquei pensando: "um dia ele vai crescer e vai ler isso e vai entender um pouquinho o que é amor de mãe e o quanto ele é imenso...". Beijos, felicidades! Dai
ps: tou de endereço novo: http://www.pedranalua.blogspot.com

Márcia disse...

Ai, ai, é por essas e outras que ando pensando em bancar uma produção independente com um "reprodutor" especial...